Parada do “Orgulho louco” pede inclusão social (e isso é “sério”)

No próximo dia 05 de maio, a partir das 10 horas da manhã, usuários e funcionários dos CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), loucos de toda a espécie e simpatizantes reúnem-se em frente ao CAPS Itapeva para a 2a “Parada do Orgulho Louco”. Em seguida, vão em caminhada em direção ao centro da cidade apresentar sua bandeira de luta: “De perto ninguém é normal”, “Liberte o louco e o artista que existe em você” e “Por uma sociedade das diferenças”. A parada do “orgulho louco” tem o apoio do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo.

No início do Movimento da Luta Antimanicomial, em 1987, a bandeira de luta era “Por uma sociedade sem manicômios”. Passados 19 anos, hoje a mobilização é pela inclusão social efetiva dos loucos e pelo reconhecimento deles como produtores de arte. A idéia do movimento é proporcionar visibilidade ao louco e sua loucura, que ainda continuam à margem da sociedade.

A parada é uma iniciativa da produtora Caixa Preta e conta com a participação de artistas desconhecidos de diferentes origens sociais e etnias da grande São Paulo, como os artistas do CAPS. Com o evento, serão abertas as portas da instituição para uma nova proposta de ações de inclusão na sociedade, que possibilite o engajamento dos usuários com o movimento artístico e a sociedade em geral.

PARADA DO ORGULHO LOUCO
Data: 5 de maio
Horário: 10 horas
Local da concentração: Rua Carlos Comenale, 32 (São Paulo -SP)

(by Ivete)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.